Magia

Magia de redenção é uma obra espiritual que explica os mecanismos do que se chama de magia. Esta obra tem interesse para os objectivos deste site  pois procuramos alertar para os perigos destas práticas.

Não é uma obra aconselhável a todos os leitores. Os assuntos abordados em Magia de Redenção são delicados e ao mesmo tempo perigosos. Pessoas com mediunidade desperta e que não estejam a ser devidamente orientadas devem ter muito cuidado em ler este tipo de livros. Ou simplesmente não ler!

MAGIA DE REDENÇÃO

magia-de-redencao, magia de redenção, ramatis

Magia de Redenção: Como funciona a magia, as simpatias, os feitiços e muito mais…

Obra mediúnica ditada pelo espírito Ramatís ao médium Hercílio Maes

Os conceitos associados à magia como magia negra, feitiços, bruxaria, simpatias, kimbandas, macumbas entre outros envolvem hoje muitas pessoas em alguns países, principalmente na América latina onde inúmeras pessoas se dedicam à sua prática a troco muitas vezes de rios de dinheiro.

Só que o problema não começa nem acaba com os chamados “bruxos oficiais” (os que dão a cara). Em todo o mundo são conhecidos organizações mais ou menos secretas que se dedicam à prática da magia negra ou “magia de influência”. Pessoas peritas nesta área nas quais nos incluímos (embora só fazendo o Bem) sabemos das práticas e grupos organizados “escondidos” que se dedicam às mais perversas práticas de magia negra, procurando atender aos seus interesses particulares.

E pasme-se, esses interesses vão de seitas evangélicas com pastores que se levantam às 4 horas da manhã ou algo similar para praticar algum tipo de magia negra (muitas vezes a chamada hipnose à distância) para os aderentes darem muito dinheiro nos seus cultos, a pessoas ricas e influentes que procuram vantagens e informações privilegiadas em negócios, até clubes de futebol que pagam milhares de euros para o seu clube ganhar determinados jogos importantes para a suas aspirações.

Por outro lado, para cúmulo destes interesses, muita da chamada “magia negra” e actuação dos bruxos e bruxas não passa de charlatanismo e certas práticas não passam de mera superstição e crendice popular.

No entanto a magia negra existe e em alguns países como Portugal e em outros países da Europa temos assistidos a um crescente interesse e aumento da oferta desses serviços.

Longos anos de estudo e prática espiritual nos levam a tirar várias conclusões de interesse, tanto para quem se dedica a estas práticas como para quem faz este tipo de pedidos. Algumas dessas conclusões são as seguintes:

  • Uma parte da magia negra e dos conceitos a ela associados (feitiçaria, bruxaria, simpatias, macumbas, kimbandas ou quimbandas, etc.) não passam de charlatanismo, de pessoas que levam por vezes dinheiro e noutros casos aceitam donativos mas não fazem os trabalhos.
  • Uma parte significativa das pessoas que se propõe a fazer os trabalhos de magia negra (incluímos nos trabalhos de magia negra a maior parte das amarrações amorosas) faz de facto esses trabalhos.
  • A maior parte da magia negra é realizada por pessoas ou “sociedades secretas” cuja existência não é pública.
  • Dos trabalhos que são realizados uma parte não tem qualquer efeito devido à incapacidade de quem faz esses trabalhos. Por exemplo, a pessoa não tem nem poder mental nem dons espirituais para os realizar. Outras vezes Deus não permite que a pessoa visada seja atingida.
  • A maior parte das pessoas que faz trabalhos de magia negra é altamente influenciada espiritualmente por obsessores espirituais. É como uma droga: a pessoa não tem noção que não está na posse de todas as suas faculdades de crítica e intuição.
  • Uma parte significativa das pessoas que fazem magia negra não compreende que fez uma espécie de pacto com o demónio (espíritos do Mal) e que o preço a pagar será muitíssimo mais doloroso do que a sua imaginação alguma vez conseguirá alcançar. Poderá significar séculos de tormentos, sofrimentos e provações dolorosas adicionais. Noutros casos a pessoa está convencida que quando morrer (desencarnar) poderá enganar esses espíritos das trevas pedindo a Deus a salvação.
  • Uma grande parte das pessoas que assumidamente faz o mal tem algum tipo de conflito com Deus para revolver, como revolta, mágoa, ressentimento, culpa…
  • A esmagadora maioria das pessoas que pede trabalhos de magia negra não faz a mínima ideia do preço a pagar e de como doloroso poderá ser o seu futuro. E ainda por cima, muitos trabalhos não alcançarão o objectivo pretendido.
  • Uma grande parte dos trabalhos de magia negra e amarração amorosa são dos crimes espirituais mais graves que existem pois constituem provocações directas a Deus. Muitas pessoas não têm essa noção mas é de facto o que se passa.

Estas são apenas algumas das conclusões que tiramos. Agora o a obra Magia de Redenção de Ramatis e Hercílio Maes.

limpeza-espiritual-logo

Magia de Redenção

Magia de Redenção

Malgrado aos protestos e censuras. das conservadores e descrentes, insistimos em advertir os terrícolas de que o “feitiço” existe, e só as espíritos completamente liberados dos resgates cármicos são invulneráveis aos seus efeitos“.

Ramatís

O Grande Arquiteto, de tempo em tempo, envia à Terra mensageiros ousados e fora de rotina, que expõem mensagens construtivas, mas prematuras, as quais, mais tarde, são consagradas pela opinião da maioria. Assim foram Crishna, Moisés, Buda, Confúcio, Fo-Hi, Jesus, Kardec e Ghandi, que arriscaram sua estabilidade no cenário terrícola, ousando perturbar os viandantes que trafegam tranquilos pelas “estradas asfaltadas” dos credos e religiões certinhas em direção ao Paraíso. Ramatís poderia filiar-se à linha convencional das entidades que transmitem para a Terra assuntos já consagrados. Porém, ele deu preferência a abordar problemas controvertidos, desmontando as prateleiras arrumadinhas das mentes condicionadas a clichês tradicionais.

Obra sem paralelo na literatura espiritualista ocidental, “Magia de Redenção” analisa objetivamente em que consiste a Magia, o significado do Ritual, os processos técnicos de enfeitiçamento verbal, mental, através de objetos e animais, da aura humana, a produção de enfermidades etc., e antecipa as conclusões da Medicina Ortomolecular sobre o envelhecimento humano e as enfermidades, ao tratar do enfeitiçamento através dos metais organogênicos.

 

limpeza-decor-1

Hercílio Maes

Hercílio Maes, médium de Ramatís, nasceu e viveu em Curitiba, Paraná, por 80 anos (1913-1993). Completou três anos do curso de Medicina, que interrompeu por razões de saúde, vindo a formar-se posteriormente em Direito, profissão que exerceu paralelamente à de Contador.

Aos 30 anos, após ver aflorar sua mediunidade, teve contato com Ramatís, com o qual possuía laços espirituais de remotas eras. Ciente do compromisso de trabalho assumido antes de seu reencarne, passou a psicografar através da mediunidade intuitiva a série de obras de Ramatís, que abrange temas inéditos e despertadores, de fácil receptividade ao leitor por apresentar, de maneira acessível, o conhecimento iniciático milenar.

Universalista e estudioso das mais diversas correntes espiritualistas, Hercílio Maes foi maçon, rosacruz e teosofista. Paralelamente à tarefa de psicografia, foi médium receitista de rara eficiência. Através da Radiestesia, em que era perito, atendia com o receituário homeopático gratuito centenas de enfermos por semana em um pequeno centro espírita de Curitiba. Só aceitava, via de regra, pacientes desenganados da Medicina; os mais necessitados saíam com a própria medicação fornecida por ele.

A legião de casos complexos. exóticos e “incuráveis” resolvidos com assistência de uma equipe de médicos do espaço nunca foi mencionada por Hercílio, cujo traço marcante de temperamento e de vida era a simplicidade. Caracterizava-se pela índole generosa e a singeleza espiritual com que acolhia a todos e encantava auditórios nas palestras que mesclavam conhecimento transcendental e permanente bom-humor.

Deixou neste plano a esposa, Dª Eleonora Maes, companheira de todas as tarefas, três filhos (Iara, Zélia e Mauro) e vários netos.

 limpeza-espiritual-logo

Dedicatória a Walter Lopes

Irmão e amigo, cujas relações de trabalho cimentaram nesta existência um sincero e recíproco afeto espiritual.

Curitiba, agosto de 1967

Hercílio Maes

direita-seta

Começar a ler

 Índice de Magia de Redenção

Invocação às Falanges do Bem
Duas palavras
Explicação necessária
Prefácio
Palavras de Ramatís
1. Considerações sobre o feitiço
2. Enfeitiçamento verbal
3. Enfeitiçamento mental
4. Enfeitiçamento por meio de objetos
5. Enfeitiçamento por meio do sapo
6. Enfeitiçamento por meio do boneco de cera
7. Enfeitiçamento por meio de metais organogênicos
8. Enfeitiçamento por meio da aura humana
9. O uso do cabelo na feitiçaria
10. O mau-olhado
11. O uso de amuletos e talismãs
12. Benzimentos e simpatias
13. As defumações e as ervas de efeitos psíquicos
14. A importância dos ritos, cerimónias e conjuros
15. A influência das cores na feitiçaria
16. Os males do vampirismo
17. O feitiço ante os tempos modernos
18. O feitiço e o seu duplo efeito moral